Sexo a três, fazer ou não fazer? Eis a questão!

Sexo a três, fazer ou não fazer? Eis a questão!

Quem nunca pensou no tal ménage que atire a primeira pedra. Fantasia sexual de muitas pessoas mas que mexe como imaginário e insegurança de quem não está preparado (a) para essa experiência.

Comumente reproduzimos a ideia de que somente os homens gostam e tem essa fantasia invalidando e reprimido também os desejos femininos. Sim, muitas mulheres tem vontade de participar de um sexo a três. E nem sempre o desejo pelo ménage a trois é: homem deseja duas mulheres e mulher deseja dois homens. Como tudo na sexualidade: depende.

O que noto em meus atendimentos e até mesmo em meu ciclo de amizade, clientes e pessoas próximas é o medo e o preconceito. Quando falamos de praticas sexuais, nossa sociedade nos ensinou que devem ser sempre monogâmicas ( não falei de relacionamento, mas de relações sexuais) e que desejar outra pessoa é uma traição.

O que não se discute muito é que as pessoas podem apenas querer sentir um prazer sexual além do “convencional” e gostariam de experimentar, testar, conhecer e gozar diferente. Isso não significa que o amor pelo parceiro (a) tenha acabado ou que o relacionamento esteja ruim, mas talvez reflita uma necessidade de comunicação entre o casal, uma vontade de se sentir vivo e em conexão com seu prazer sem ser nos moldes “normais”.

Ao dividir esse desejo e relatar suas vontades é que entra o conflito de quem não está bem resolvido consigo e com sua sexualidade. A pessoa que recebe da parceria a mensagem de que sente desejo em incluir no sexo outra pessoa, pode se sentir rejeitada, insegura, com ciúmes e entrar em contato com suas sombras e questões pessoais de autoestima mal resolvidas.

A projeção e dependência do prazer somente com a parceria, o medo de ser trocado (a) etc podem causar muito desconforto.

Por outro lado, casais bem conectados intimamente, que se respeitam, sabem de seus limites e dividem seus medos, desejos e vontades podem sim ter excelentes experiências a três ou mais, rs. Podem fortalecer e melhorar o que já era bom, pois juntos resolveram explorar e dividir o prazer.

Já os casais onde uma das partes ( geralmente a mulher), vê no ménage a esperança de salvar e apimentar o relacionamento estão de fato fadados a terem problemas. Para experiências sexuais convencionais ou não, o casal precisa estar bem para que seja bom para todos os envolvidos, e achar que irá salvar o relacionamento pode ser um dos piores erros a se cometer.

Quando entendemos que é possível amar quem está ao nosso lado e desejar sexualmente outra pessoa sem anular o que sentimos, as coisas fluem melhor. Não somos donos nem temos controle sobre corpo, desejos, prazeres e sentimento do outro.

O problema não está e nunca foi o desejo por outra pessoa, mas a maneira como esse desejo é conduzido é que irá dizer sobre esse relacionamento e sobre o respeito por si e pelo outro.

Ao desejar outra pessoa podemos nos sentir culpados, com vergonha, com medo do que o outro vai pensar… mas ao expor de modo franco e saudável há sim possibilidades de vivenciar, e o melhor: juntos.

O sexo conecta, aproxima e fortalece quem já está bem.

Tentar reprimir esse desejo talvez seja bom para o relacionamento, mas não para a pessoa que deseja. E será que ser bom para o relacionamento não precisa também ser bom para quem deseja?

Sim, é complexo eu sei. E atendo clientes que esperam de mim a resposta pronta do sim ou não, a minha aprovação e validação para o ménage e eu enquanto profissional as faço questionar entender de onde vem esse desejo ou medo do ménage, refletir se esse desejo é do outro, se é seu, se vale a pena, se o relacionamento está fortalecido o bastante para isso.

O que acontece muitas vezes é que percebem que talvez esse desejo nem seja tão latente assim e que talvez o monogâmico e convencional é muito gostoso e satisfatório.

Também muitas vezes percebem que a demanda que me trouxeram sobre o ménage na verdade é secundária e que existem outros fatores a se trabalhar em sua autoestima e relacionamento.

Uma diva de série que aborda o assunto em alguns episódios com leveza e humor, é a série: Homens? Produzida pelo Fábio Porchat, além de trazer outros dilemas sexuais e sociais dos homens e mulheres.

Se você leu até aqui esperando uma resposta, só posso te dizer: reflita sobre o texto e reflita sobre sua sexualidade e relacionamento.

Um casal está “pronto” para novas experiências quando não há inseguranças e quando o respeito por si, pelo outro e limites existem.

E caso chegou até aqui e acha que está pronto para fazer, se respeite, respeite os envolvidos, usem preservativos, cuidado com Ist’s e gravidez indesejadas e o principal: tenham responsabilidade afetiva.

Aproveita para inovar e usar brinquedos eróticos. Um ótimo site para comprar os melhores, com frete grátis e qualidade é na minha loja, rs. Faço toda a curadoria dos produtos. É só clicar aqui e conhecer.

Se joga e goza!

Marcado com: , , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta